Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > InforMMA > Mais Notícias > Circuito de 400 km no DF reforça Rede Trilhas
Início do conteúdo da página

Notícias

Circuito de 400 km no DF reforça Rede Trilhas

Lançado neste sábado (28), Caminhos do Planalto Central vão se integrar a projeto do MMA. Iniciativa busca conservar a biodiversidade e incentivar o ecoturismo
Publicado: Sábado, 28 Setembro 2019 17:12 Última modificação: Segunda, 07 Outubro 2019 19:17 Autor: Elmano Augusto Ferreira Cordeiro
Crédito: Fotos/Rubens Freitas/Ascom MMA Trilheiros comemoram o lançamento dos Caminhos do Planalto Central durante evento na Praça dos Três Poderes, em Brasília Trilheiros comemoram o lançamento dos Caminhos do Planalto Central durante evento na Praça dos Três Poderes, em Brasília
Brasília – Morador de Vicente Pires, no Distrito Federal (DF), o servidor público Carlos Medeiros, 42 anos, acordou cedo neste sábado (28) e tomou café da manhã com a mulher, Laura, 39, e o filho, Franklin, 12. Pouco antes das 10h, eles já estavam a postos em frente à Catedral Metropolitana, na Esplanada dos Ministérios. Minutos depois, desciam, em caminhada com dezenas de outras pessoas, pelo Eixo Monumental até a Praça dos Três Poderes.

Lá, a família de caminhantes se juntou aos mais de 250 trilheiros de Brasília – vindos em grupos de vários locais, a pé, de bicicleta e até mesmo montados em cavalos – para participar do lançamento do projeto Caminhos do Planalto Central, um circuito de 400 quilômetros de trilhas que visa proteger a natureza e contribuir para incrementar o turismo ecológico na capital federal.

O evento começou por volta das 11h30 e foi marcado pela descontração e pelo colorido das pessoas. As nuvens no céu deram uma forcinha, encobriram o sol e aliviaram o calor, tornando o clima mais agradável. “Costumamos fazer trilhas e estamos muito felizes em estar aqui e presenciar este acontecimento”, comemorou Carlos, vestido a caráter – camiseta, short e tênis de caminhada.

PROTOCOLO

TRILHAS 3

Após os discursos, que destacaram a importância dos Caminhos do Planalto Central para o desenvolvimento sustentável da região, representantes dos governos federal (na foto acima, o secretário de Ecoturismo do MMA, André Pitaguari Germanos) e do DF assinaram protocolo de intenções que cria o grupo interinstitucional responsável pela implementação dos 400 quilômetros de trilhas.

O circuito, que foi lançado pela Secretaria de Turismo do Governo do Distrito Federal (GDF), com apoio de outros órgãos locais e federais, como as secretarias de Meio Ambiente e de Agricultura do DF, o Ibram, o ICMBio e a Embratur, vai passar por unidades de conservação federais e distritais e atrativos ambientais, culturais e históricos da capital brasileira.

Além disso, vai se interligar aos Caminhos dos Goyases, que cortam de ponta a ponta o estado goiano, de Goiás Velho até a Chapada dos Veadeiros, integrando-se à Rede Nacional de Trilhas de Longo Curso, a Rede Trilhas, lançada pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) em outubro do ano passado. Atualmente, a Rede é gerida pela Secretaria de Ecoturismo do MMA.

“A Rede Trilhas é uma ferramenta espetacular. Além de contribuir para a conservação da biodiversidade, conectando ecossistemas, fortalece as economias locais por meio turismo ecológico. Isso leva as pessoas a terem contato com a natureza, tornando-as defensoras do meio ambiente”, afirmou o secretário de Ecoturismo do MMA, André Pitaguari Germanos.

Ele fez questão de reconhecer a contribuição da sociedade civil, das associações de trilheiros e dos voluntários para a concretização de projetos como o dos Caminhos do Planalto Central. “Sem vocês com certeza nada disso existira”, afirmou, dirigindo-se aos trilheiros e voluntários presentes ao evento na Praça dos Três Poderes.

Germanos disse ainda que se sentia feliz em saber que muitos dos ciclistas que estavam no evento haviam chegado ao local pedalando a partir das trilhas do Parque Nacional de Brasília. Ele aproveitou para anunciar que está empenhado, junto com o ICMBio, em abrir todos os parques nacionais à visitação.

REFERÊNCIA

CICLISTAS TRILHAS copy

A secretária do Meio Ambiente do DF, Vanessa Mendonça, garantiu que todo o percurso dos Caminhos do Planalto Central deve estar sinalizado até o dia 21 de abril do próximo ano, quando Brasília comemora os seus 60 anos. Ela agradeceu o apoio de todos que participaram do lançamento e destacou que o projeto torna Brasília uma referência em trilhas para o Brasil e para o mundo.

Ela ressaltou, ainda, que o circuito deve atrair milhares de turistas de outros estados e até de fora do país. Para dar uma ideia do potencial do projeto, Vanessa lembrou que, só em Brasília, há cerca de 20 mil pessoas que normalmente procuram trilhas para caminhar, 30 mil para pedalar (na foto acima, ciclistas no lançamento neste sábado) e 20 mil para cavalgar.

Dos 400 quilômetros dos Caminhos do Planalto Central, cerca de 80 quilômetros já estão devidamente sinalizados, em especial, as trilhas que cruzam a Floresta Nacional (Flona) de Brasília e o Parque Nacional de Brasília e se estendem até a Serrinha do Paranoá, na região da Área de Proteção Ambiental (APA) do Planalto Central. O parque, a APA e a Flona são administrados pelo ICMBio. A sinalização foi feita por servidores e voluntários.

A coordenadora-geral do Departamento de Fomento e Projetos da Secretaria de Ecoturismo do MMA, Mônica Guedes, disse que, no momento, gestores dos ministérios do Meio Ambiente e do Turismo, do ICMBio e da Embratur elaboram a portaria de regulamentação da Rede Nacional de Trilhas. Se tudo der certo, o trabalho deve ser concluído ainda este ano.

A ideia, segundo ela, é que todas as propostas de inclusão de trilhas na Rede Nacional, como a dos Caminhos do Planalto Central, devam ser encaminhadas para avaliação e validação junto à Secretaria de Ecoturismo do MMA, que funcionará como o órgão gestor do projeto.

PEGADA

CAVALOS copy

A Rede engloba percursos locais e regionais que ligam diferentes biomas de Norte a Sul do País. As trilhas podem ser feitas a pé, de bicicleta, de cavalo (na foto acima, cavaleiros durante o evento em Brasília) ou utilizando outros modos de viagem não motorizados. São identificadas com um símbolo de uma pegada amarela sobre fundo preto, com adaptações para diferentes regiões. A pegada dos Caminhos do Planalto Central tem a imagem da Torre de TV Digital.

Em toda a sua extensão, a Rede Nacional de Trilhas de Longo Curso inclui quatro grandes corredores: Litorâneo, do Oiapoque (AP) ao Chuí (RS); Caminhos Coloniais, do Rio de Janeiro até Goiás Velho (GO); Caminhos dos Goyases, entre Goiás Velho e a Chapada dos Veadeiros (GO); e Caminhos do Peabiru, ligando o Parque Nacional do Iguaçu (PR) ao litoral paranaense.

Entre as trilhas já sinalizadas, estão o Caminho da Serra do Mar (RJ), a Transcarioca (RJ), a Transespinhaço (MG), a Rota Darwin (RJ-PE) e o Caminho das Araucárias (RS/SC), que integram o corredor Litorâneo; o Caminho de Cora Coralina (GO) e o Caminho da Floresta Nacional de Brasília e do Parque Nacional de Brasília, que fazem parte dos Caminhos dos Goyases (GO) e dos Caminhos do Planalto Central (DF); a Trilha Chico Mendes (AC); e a Transmantiqueira (RJ, MG e SP), que estão sendo percorridas pelos primeiros grupos de aventureiros e exploradores.

A Rede Trilhas faz parte do Programa Nacional de Conectividade de Paisagens, do Ministério do Meio Ambiente, que reúne ações para promover a interligação de ecossistemas e a gestão das paisagens no território brasileiro, estimulando a conservação da natureza e o desenvolvimento social, econômico e cultural do país.

Ascom MMA
(61) 2028-1227
Ler 1345 vezes Última modificação emSegunda, 07 Outubro 2019 19:17
Fim do conteúdo da página