O que é o CONAMA
    Quem é quem                   (+)
    Resoluções e outros atos
    Legislação ambiental
    Procedimentos e Formulários
    Reuniões plenárias
    CIPAM
    Câmaras técnicas e GTs
    Câmara Especial Recursal
    Processos                        (+)
    Calendário de reuniões
    Eventos especiais
    CNEA
    Como navegar no sítio
   
    Responsável pelo conteúdo: conama@mma.gov.br

Boletins quinzenais

 
 
Emissões de CO2 atingiram nível recorde em 2012

Para agência de energia, temperatura global pode aumentar até 5,3 graus Celsius

O planeta atingiu, no ano passado, um nível recorde de Emissões de carbono na atmosfera — 31,6 gigatoneladas, um crescimento de 1,4% em relação a 2011. O alerta está em um novo relatório da Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês), divulgado ontem. — O combate às Mudanças Climáticas caiu para o segundo plano da política internacional — lamentou Maria van der Hoeven, diretora-executiva da IEA. — Estamos a caminho de um aumento da temperatura global entre 3,6 graus e 5,3 graus Celsius (até 2100). Dois terços das Emissões globais vêm do setor energético. Segundo a IEA, é possível conter as Emissões de CO2 na atmosfera sem prejudicar o crescimento econômico. Para isso, é preciso adotar medidas como limitar a construção e o uso de usinas de carvão; estimular a adoção de fontes renováveis de energia; e reduzir pela metade a liberação de metano, proveniente da indústria petrolífera. Todas as sugestões podem ser aplicadas com tecnologia já existente. O tom pessimista do relatório da IEA contrasta com o assumido, no fim de semana, pelos presidentes dos EUA, Barack Obama, e Xi Jinping, da China. Em um encontro na Califórnia, ambos comprometeram-se a reduzir o uso do gás-estufa hidrofluorcarbono (HFC). Usado em geladeiras e aparelhos de ar-condicionado, o HFC ganhou popularidade há cerca de 20 anos, ao tomar o lugar de substâncias danosas à camada de ozônio. O HFC, porém, é uma das maiores fontes de gases-estufa. De acordo com a Casa Branca, a redução gradual do HFC faria com que o planeta deixasse de despejar 90 gigatoneladas de CO2 na atmosfera até 2050 — algo equivalente a dois anos do total de Emissões globais. Em 2012, a mudança do carvão para o gás na geração de energia ajudou os EUA a reduzir as Emissões de CO2 em 200 milhões de toneladas (Mt). A China, porém, aumentou em 300 Mt a liberação de carbono.

JORNAL O GLOBO
2013-06-11
EMISSÕES


Voltar