Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Comunicação > Notícias - InforMMA
Início do conteúdo da página
 
Quinta, 06 Julho 2017 17:00

Termômetro com mercúrio tem uso banido

Divulgação
Termômetros: eliminados até 2018

A partir de 2019 estará proibida a fabricação, uso ou importação do popular termômetro com coluna de mercúrio.


PAULENIR CONSTÂNCIO

Aquele termômetro de vidro com uma coluna de mercúrio que muita gente ainda tem em casa está com os dias contados. Quase fora de fabricação, o instrumento usado para saber se uma pessoa está com febre terá sua fabricação, uso e importação banida no país até o final de 2018. Fechado, ele é inofensivo, mas se for acidentalmente quebrado e a substância inalada ou mesmo tocada pode trazer sérios riscos à saúde mesmo em pequena quantidade. 

Nesta quinta-feira (06/07), na 5ª Reunião Ordinária da Comissão Nacional de Segurança Química (Conasq), a Agência Nacional de Saúde (Anvisa), onde nasceu a proposta de eliminar os medidores com mercúrios, confirmou a adoção da medida. Ela atinge também os aparelhos de pressão com mercúrio. “O termômetro de mercúrio vem sendo substituído e os que estão pelas casas das pessoas não representam riscos quando usados adequadamente”, informou o representante do órgão.

Acesse fotos da reunião

Segundo ele, a Anvisa está estudando a reformulação de normas para o descarte, para adequá-las à Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Novas tecnologias vêm substituindo com vantagens os termômetros de mercúrio, como o digital já popularizado. O cuidado, no entanto, não deve ser deixado de lado, pois a liberação do mercúrio no meio ambiente traz riscos ao solo e aos mananciais hídricos.  As normas para descarte do remanescente ainda utilizado em casa, em hospitais e clínicas estão previstas pela política de logística reversa para lixo hospitalar. 

Letícia Reis, coordenadora geral de Qualidade Ambiental e Resíduos do MMA, disse que “é uma medida defendida no Conasq há muito tempo e antecipa a implementação da Convenção de Minamata sobre Mercúrio, que previa a medida para 2020”.  O tratado internacional assinado pelo governo brasileiro e ratificado na terça-feira (04/07) pelo Congresso Nacional trata do banimento do mercúrio de produtos e processos capazes de colocar em risco a saúde humana. 

Além da eliminação dos instrumentos com mercúrio, a reunião da Conasq abordou outros temas, tais como: amianto, sulfluramida usada como isca formicida, retardantes de chama em eletroeletrônicos e chumbo em tintas. 

5ª Reunião Ordinária da Conasq nesta quinta-feira, em Brasília

 

 

Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA): (61) 2028-1227



Fim do conteúdo da página