Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Biodiversidade > Economia dos Ecossistemas e da Biodiversidade
Início do conteúdo da página

Economia dos Ecossistemas e da Biodiversidade

O Brasil abriga aproximadamente 20% da biodiversidade mundial.  O país possui também uma rica sociobiodiversidade, representada por mais de 200 povos indígenas e por diversas comunidades tradicionais que detêm um vasto conhecimento sobre a conservação da natureza. Este capital natural e os serviços ecossistêmicos (SE) a ele vinculados, como o abastecimento de água, a polinização de culturas ou a proteção contra eventos climáticos extremos, são de grande importância, não só para a sociedade brasileira, como também para o equilíbrio ecológico e para o bem-estar das sociedades em nível global.

Os bens naturais e os SE são de grande importância para a resiliência de setores econômicos como: agropecuário, energético, pesqueiro e florestal.  Apesar do reconhecimento acerca da importância da biodiversidade e de ecossistemas saudáveis para o desenvolvimento econômico e social do país, isso ainda não se reflete plenamente na construção e implementação de políticas e decisões empresariais.

Ainda, existem poucos exemplos práticos de implementação e de diálogo estruturado entre as diversas instituições e níveis de governo sobre a integração de SE em políticas públicas e no setor empresarial. O Brasil estabeleceu suas metas nacionais de biodiversidade para 2011-2020 como contribuição aos compromissos internacionais no âmbito da Convenção da Diversidade Biológica (CDB), por meio das Metas de Aichi entre as quais se destacam: As pessoas terão conhecimento dos valores da biodiversidade e das medidas que poderão tomar para conservá-la e utilizá-la de forma sustentável (Meta 1), a necessidade de integração dos valores da biodiversidade em estratégias nacionais e locais de desenvolvimento (Meta 2), de desenvolver incentivos positivos para a biodiversidade e de reduzir os nocivos (Meta 3) e de governos, setor empresarial e grupos de interesse em todos os níveis tomarem medidas ou implementarem planos para produção e consumo sustentáveis e restringindo os impactos da utilização de recursos naturais dentro de limites ecológicos seguros (Meta 4).

Neste contexto, torna-se essencial evidenciar para a sociedade e para os tomadores de decisão, as relações de dependência e impacto entre o capital natural e a economia de forma que estas se reflitam nos processos de planejamento e na elaboração de políticas públicas e corporativas.
 
Saiba mais sobre os temas abordados (importância dos ecossistemas para as pessoas, status atual dos ecossistemas, o que são serviços ecossistêmicos, as iniciativas sobre o tema e ainda o que o Projeto da cooperação Brasil-Alemanha “TEEB Regional-Local” tem feito na promoção da integração da biodiversidade na tomada de decisão por meio do enfoque de serviços ecossistêmicos) acessando o menu ao lado ou clicando nos itens abaixo.

 
TEEB menu 1TEEB menu 2TEEB menu 3
TEEB menu 5TEEB menu 6TEEB menu 4
Fim do conteúdo da página