Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

RJ - Cachoeiras de Macacu


 

Projeto PDA 096-MA
Entre Serras e Águas: Consolidação do Corredor Central Fluminense através da elaboração do plano de manejo da APA da Bacia do Rio Macacu.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Instituto BioAtlântica - IBIO
Rua Goethe, número 54- Botafogo 
Rio de Janeiro 
CEP: 22.810-020
TELEFONE: (21) 2535-3940
FAX: (21) 2535-3040

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
www.bioatlantica.org.br

A Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Macacu foi criada com o objetivo de influenciar de maneira positiva na gestão do uso do solo, protegendo os recursos hídricos, através da limitação da extração de areia e outras atividades danosas aos recursos hídricos. A referida Unidade de Conservação (UC) alvo desse projeto, se considerado o seu entorno, ocupa quase a totalidades da sub-bacia Guapi-Macacu, principal fornecedora de água para toda a parte leste da Baía de Guanabara. A Sub-bacia do Guapimirim-Macacu faz parte do complexo hidrológico que compõe a Bacia da Baia da Guanabara, no estado do Rio de Janeiro. É limitada ao norte e noroeste pela serra dos Órgãos, a nordeste pela serra de Macaé de Cima, a leste pelas serras da Botija e de Monte Azul e ao sul pelas serras do Sambê e dos Garcias. O rio Macacu, seu rio principal, nasce na serra dos Órgãos, a cerca de 1700m de altitude, no município de Cachoeiras de Macacu, e percorre aproximadamente 74 km até a sua junção com o Guapimirim. Entre as unidades de conservação presentes no entorno da APA da Bacia do Rio Macacu estão o Parque Nacional da Serra dos Órgãos (11.800 ha.), o Parque Estadual Três Picos (46.350 ha.), a Estação Ecológica do Paraíso (4.920 ha.), a Área de Proteção Ambiental Federal de Guapimirim (14.000 ha.), a Área de Proteção Ambiental Federal de Petrópolis (59.049 ha). Este projeto tem como objetivo a construção participativa do plano de manejo da APA da Bacia do Rio Macacu através de uma estratégia de planejamento regional que compreende o mosaico de UC existente no seu entorno, além da identificação de possibilidades de conexões através da formação de corredores e do planejamento agroecológico. Essa estratégia visa compatibilizar a conservação da biodiversidade e o uso sustentável dos recursos, respeitando a vocação agropecuária das unidades produtivas existentes na APA.

 

        

 

Fim do conteúdo da página